Conhecido como CDB, o Certificado de Depósito Bancário é um dos investimentos mais populares entre os brasileiros inscritos no CPF. Tem sido uma boa opção, pois tem uma segurança equivalente à poupança, porém com rendimentos maiores. Para tirar as dúvidas que você tenha a respeito do CDB e de como é cobrado o Imposto de Renda, preparamos este artigo.

O que é o CDB?

Utilizado pelos bancos para a captação de recursos, o CDB é um título em que o cidadão investe um dinheiro que será reutilizado por esses bancos para empréstimos e financiamentos, por isso recebe o nome de certificado. Em troca do valor, os bancos irão proporcionar juros pré-determinados: o CDB é uma aplicação de renda fixa.

São três tipos de modalidade disponíveis:

Pré-fixado: possui uma taxa fixa de jutos por ano

Pós-fixado: os juros são atrelados a algum índice, como o DI

Indexado: tem um juro anual fixo, porém oferece variação por conta da inflação

Saiba mais sobre o que é CDB e como investir.

Como é o Imposto e Renda do CDB?

Apesar de assustar os investidores e gerar muitas dúvidas, o imposto sobre o CDB não é nenhum bicho de sete cabeças. Primeiramente, é preciso lembrar de declarar o IR apenas em relação ao montante de rendimento. Vamos lá: se você aplicou R$50 mil e, um ano depois, resgatou R$55 mil, o Imposto de Renda irá incidir apenas sobre os R$5 mil de lucro que você obteve no investimento.

Assim como qualquer outro investimento de renda fixa, o valor do Imposto de Renda no CDB varia de acordo com o tempo que o dinheiro estiver investido: quanto maior, menor o IR.

Se o prazo do resgate for até 180 dias, a alíquota do IR sobre seu lucro é de 22,5%; de 181 a 360, o valor diminui para 20% e assim sucessivamente até chegar ao mínimo de 15% de IR sobre o lucro.

Como declarar o Imposto de Renda?

No momento da declaração do Imposto de Renda, é necessário declarar o valor líquido do rendimento (nesse caso, o imposto já vai ser descontado no momento em que você realizar o resgate). No sistema da declaração, você irá incluir o rendimento líquido do CDB na aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, clicando no item 6 “Rendimentos de Aplicações Financeiras”. Assim, você irá inserir uma nova aplicação e especificar no campo “Especificação” o tipo de investimento (CDB, no caso), nome e CNPJ da instituição financeira.

Você irá ver o campo “Valor”, onde vai declarar o rendimento líquido. Existe a possibilidade de declarar mais de um CDB, repetindo todo o processo.

E se eu ainda não resgatei minha aplicação, como faço? Nesse caso, você também indicará o valor aplicado no IR. Adicione um item na seção “Bens e Direitos”, indique o número 45 para renda fixa, 105 para localização (Brasil), discrimine que se trata do CDB e indique o nome e CNPJ do instituição financeira. Depois, basta indicar o saldo do investimento de 31/12 do ano anterior e o saldo do ano da declaração do IR.

Feito isso – e, claro, declarando os demais bens e rendimentos – você envia sua declaração e imprime o recibo. Fácil, não é?

Escrever comentário

Shares