Há não muito tempo atrás, a forma mais rápida com que uma pessoa poderia se deslocar era a cavalo, um meio de transporte que precisava de muito combustível e gerava muitos poluentes. 

Há quem diga que a invenção do carro salvou as grandes cidades de ficarem soterradas em esterco. Porém, com a adoção maciça dos veículos automotores, veio também a influência do preço dos combustíveis no orçamento das pessoas. 

Cidades cada vez maiores, carros cada vez mais confortáveis e econômicos levaram as populações a aumentarem seus deslocamentos diários. 

E até mesmo quem não tem carro acaba sujeito a isso, passando longas e longas horas do seu dia e da sua vida dentro de ônibus, trens e metrôs.

Segundo a última Pesquisa de Orçamento Familiar realizada pelo IBGE, em 2017-2018, os gastos com transporte representam 17,5% das despesas de uma família, em média. É um peso significativo em qualquer orçamento. 

Praticamente 1 em cada 5 reais é gasto com transporte. E com isso, sempre que acontece uma alta nos preços dos combustíveis, o orçamento doméstico fica mais apertado.

Usar transporte público

Uma das primeiras opções de quem vê o orçamento ficando cada vez mais apertado com o constante aumento dos preços dos combustíveis é deixar o próprio veículo cada vez mais tempo na garagem e passar a usar o transporte público. 

Essa é uma excelente opção, principalmente para quem mora em locais bem servidos dessa infraestrutura e com a possibilidade de integração entre os diversos modais urbanos pagando apenas uma única passagem, como existe em algumas cidades e regiões metropolitanas. 

Infelizmente, caso você more em um local com pouco ou nenhum transporte coletivo, não tem como deixar de usar seu carro ou moto. Mas existem outras coisas que podem ser feitas.

Dê e peça carona

É bem provável que na sua vizinhança você encontre mais pessoas que trabalham ou na mesma empresa que você, ou em uma empresa vizinha. 

Converse com elas e combinem de irem juntos ao trabalho. Vocês podem revezar o carro, ou então negociar um valor para que o carona ajude a bancar os custos de quem está usando o próprio veículo. 

Essa opção pode exigir algum esforço de adequação de horários, caso vocês tenham diferença entre os seus horários de entrada e saída do expediente.

Também pode ser viável rachar a corrida de aplicativo, caso você encontre duas ou três pessoas que trabalham próximas a você. Dividir uma corrida em três ou quatro pessoas pode sair mais em conta até mesmo do que a passagem de transporte coletivo, e vocês viajam com mais conforto e mais rapidamente.

Pedale e caminhe mais

pessoas pedalando na rua

Estou falando muito sobre trabalho aqui, mas esse não é o único deslocamento que fazemos no nosso cotidiano. 

Também precisamos levar as crianças na escola, ir à igreja, fazer compras de mantimentos, remédios, roupas, vamos a academia (pelo menos deveríamos), visitamos parentes e amigos, usamos o carro nas horas vagas para chegar até locais de lazer, entre outras inúmeras atividades. 

Para algumas dessas atividades, podemos substituir o carro pela bicicleta, ou mesmo por uma boa caminhada. 

Claro que essa substituição depende de alguns fatores, como a distância a ser percorrida, a topografia da cidade onde você mora (uma cidade plana exige muito menos esforço do que uma cidade repleta de ladeiras), o seu preparo físico e as coisas que precisa carregar junto consigo para realizar cada uma dessas atividades.

Outra possibilidade é realizar alguns desses compromissos via internet, sem necessidade de deslocamento. 

Já se tornou bem simples fazer compras em supermercados, farmácias e petshops através dos aplicativos de delivery, o que permite economizar não só o combustível, mas também seu tempo, uma vez que é bem mais rápido selecionar o que você precisa na tela do seu smartphone do que pegar o carro, ir até o mercado, escolher os produtos, passar no caixa, empacotar, carregar no carro e descarregar na sua casa. 

Enquanto aguarda suas compras chegarem, pode usar seu tempo para realizar outras atividades mais interessantes, como ler o blog da Juros Baixos 😊

Planeje melhor as suas saídas

Racionalizar quando usar o carro, ou mesmo aproveitar que vai sair e passar em todos os locais que precisa, segundo um roteiro lógico, também pode trazer uma boa economia. 

Se você é daquele tipo de pessoa que precisa ir a muitos lugares durante o seu dia, não custa nada colocar todos os destinos no GPS e verificar qual o melhor trajeto a ser feito. Não existe economia maior do que andar menos com o seu carro.

Faça a manutenção preventiva do seu veículo

De acordo com especialistas, a manutenção preventiva do seu carro pode resultar em uma economia de até 15% de combustível

A manutenção preventiva veicular, desde a mais básica, como calibrar os pneus, alinhar a direção, balancear as rodas, troca de óleo e outras, influenciam diretamente no consumo de combustível por preservar as características originais dos veículos”, afirma o engenheiro Hélio da Fonseca Cardoso, membro e ex-diretor do Ibape/SP, em matéria divulgada no portal Terra no último mês de março.

Além disso, a maneira como o motorista pilota seu veículo também impacta no consumo de combustível. 

Acelerar sem necessidade, deixar para frear em cima dos obstáculos, não utilizar o câmbio da maneira correta, manter os vidros abertos quando viaja em rodovias, são alguns dos hábitos ruins que aumentam o consumo de combustível e também o desgaste dos componentes do carro.

Mudança radical

pés com meias saindo de uma caixa de papelão de mudanças

Em casos extremos, pode ser interessante avaliar a mudança de casa, principalmente para quem mora de aluguel. 

Essa é justamente uma das vantagens de ser inquilino, melhorar a sua mobilidade, permitindo que a pessoa se mude sempre que for necessário. 

A maior economia possível de ser feita é morar próximo aos locais que mais frequenta, como o seu trabalho ou a faculdade onde estuda. 

Reduzindo essa distância de deslocamento, a economia é brutal. Se for possível eliminar o carro ou moto e fazer esse trajeto a pé, é melhor ainda. 

Claro, a depender do valor do aluguel na região que deseja, pode ser proibitivo realizar a mudança, mas vale a pena fazer essa pesquisa, ainda mais se você precisa se deslocar por muito tempo, ou mesmo mora em uma cidade diferente daquela onde trabalha ou estuda.

Mesmo que o aluguel venha a ser mais caro, a economia com combustível, pedágio e manutenção do veículo pode compensar bastante. 

Em todas essas opções citadas, é preciso lançar mão do papel, caneta e calculadora para ver o que realmente proporciona uma economia significativa.

E você, amigo leitor, quais medidas têm adotado na sua casa para manter o gasto com combustível sob controle no seu orçamento?

Comentários