Criar um bom planejamento financeiro é bem simples. Só é preciso se organizar e tomar alguns cuidados no dia a dia.

Por exemplo, evitando fazer compras por impulso. Ou ainda, comparando os preços de serviços e produtos antes de realizar uma compra.

Para ajudar você na tarefa, produzimos este artigo. Continue lendo para saber todo o necessário para se planejar!

Afinal, o que é um planejamento financeiro?

Fazer um planejamento financeiro significa planejar o orçamento, para conseguir guardar dinheiro e alcançar metas. Como a compra de bens.

É uma forma também de ter mais segurança financeira. Pois planejando, fica mais simples poupar e ter dinheiro para imprevistos e momentos de urgência.

Veja 7 dicas para criar um planejamento financeiro eficiente

A seguir, listamos os principais cuidados que você precisa tomar para fazer seu planejamento financeiro. Acompanhe!

Tenha todos os gastos mapeados

Para começar seu planejamento, você precisa saber quanto gasta todos os meses. Isso vai incluir seus gastos recorrentes (com contas como a de energia elétrica), gastos do dia a dia (na padaria, por exemplo), e débitos que estão em aberto e você precisa pagar.

A partir desse mapeamento, será mais simples entender quais gastos são relevantes, e quais podem ser eliminados. Muito do que você gasta é supérfluo, pode ter certeza. Sabendo disso e entendendo o que são esses valores, você conseguirá poupar melhor.

Se livre das dívidas 

As dívidas atrapalham completamente o orçamento. Mesmo que tenham sido dívidas planejadas, que você parcelou de várias vezes.

Os débitos costumam acumular juros por causa do parcelamento. Sem contar que, se eles forem atrasados, ficarão mais caros.

Por isso, vale a pena quitar todas as dívidas. Pode ser com um dinheiro que você já tem, ou então obtendo um empréstimo.

Um empréstimo é interessante especialmente quando os débitos têm juros altos. Se você quitar os valores de forma antecipada, pode conseguir desconto. 

Mas aí, é importante ter a certeza de que o custo do empréstimo é menor. A ideia é trocar dívidas mais caras por outra mais barata (o empréstimo). Se o crédito for mais caro do que está em aberto, a troca não valerá a pena.

Na hora de obter os valores, uma dica é usar um simulador de empréstimo. Assim, será mais simples visualizar várias ofertas de crédito de uma só vez. Então, você poderá escolher a mais vantajosa para o seu bolso.

Gaste menos do que ganha

Muito cuidado com o quanto você gasta. Gastar mais do que se ganha é um grande problema, pois você vai acumular débitos e mais débitos, que podem se tornar uma “bola de neve” ao longo do tempo.

Vale ter atenção especial ao cartão de crédito. Com ele, as compras são feitas para serem pagas depois. 

Ou seja, você compra com um dinheiro que não está gastando naquele momento, é um dinheiro “invisível”. Então, também há a chance de que esse dinheiro não exista na hora do pagamento.

É fundamental ter controle dos seus gastos, no cartão de crédito e de outras formas. Assim, se você perceber que está consumindo mais do que pode, poderá controlar o orçamento e evitar acumular débitos.

Tenha metas e objetivos

Definir metas do quanto poupar e sobre o que você quer comprar faz toda a diferença para o orçamento. Com os objetivos traçados, você se sentirá mais impelido a manter o controle.

https://br.depositphotos.com/
Fonte: https://br.depositphotos.com/

O que é bem diferente de deixar o orçamento correr livremente. Se você guarda apenas “o que sobra”, por exemplo, pode não guardar nada em alguns meses. Enquanto que, se você definir um valor mínimo para poupança todo mês, vai se esforçar para alcançar essa definição.

Sempre compare os preços

Na hora de comprar qualquer coisa, você precisa pesquisar. Pode ser algo simples, como sapatos. Sem dúvida, um mesmo produto tem preço bem diferente entre as lojas. 

Isso significa que comparar os preços facilita encontrar as melhores ofertas. A internet ajuda muito nesse processo, claro. Basta fazer uma busca no Google, que você terá noção dos preços e de onde comprar.

Evite compras por impulsos

Compras por impulso tendem a desestabilizar o orçamento. Afinal, elas não terão sido previstas. Então, pode ser que você gaste um dinheiro que não tem, ou então que estava reservado para outra coisa.

A dica aqui é sempre pensar duas vezes antes de uma compra. Avalie bem se você precisa do produto ou do serviço e, se precisa, se ele é necessário agora. Caso sim, você poderá inserir os valores dentro do seu orçamento, planejando o gasto. Caso não, vai poupar uma compra desnecessária.

Saiba investir seu dinheiro

Existem várias formas de investir seu dinheiro. Você pode comprar um bem como uma casa ou carro; pode aplicar na Bolsa de Valores; ou ainda pode fazer investimentos mais estáveis, como um consórcio ou CDB.

O importante é tentar não deixar o dinheiro parado na conta. Porque esse dinheiro poderia render, e mantê-lo intacto será deixá-lo desvalorizar.

Planejamento é liberdade

Apesar de toda a organização e controle financeiro que um planejamento existe, ele também traz liberdade. Liberdade de saber que você pode gastar com determinadas coisas, que tem dinheiro para realizar seus sonhos e também de poder quitar as dívidas em aberto.

É algo que também traz segurança para que você defina o que fazer no dia a dia. Se você estiver infeliz no emprego, por exemplo, pode desistir dele e procurar outro. Desde, é claro, que você tenha guardado dinheiro para se manter tranquilo por um tempo. A liberdade de decisões pode ser bastante prazerosa.

Considerações finais

Nunca é cedo demais, nem tarde demais para começar um planejamento financeiro. Você é jovem? Ótimo, então está na hora de definir seus objetivos financeiros, planejá-los e trabalhar por eles.

Está com dívidas? Sem problemas! Se planejar vai ajudar seu orçamento a sair dessa situação e dar maior respiro ao dia a dia.

Já realizou um objetivo financeiro, mas tem outros? O planejamento vai ajudar você a poupar para conseguir o que quer.

A chave é se planejar de forma detalhada. Além de, é claro, se planejar conforme sua realidade. Não adiantaria nada, por exemplo, definir que você vai guardar R$ 900,00 por mês, se você ganha um pouco mais de R$ 1.000,00 mensais. Seja realista, e então os resultados serão muito mais eficazes.

Comentários