Powered by Rock Convert

Acontece com muita gente: um imprevisto, um deslize, um vacilo e o orçamento que já é apertado vai para o espaço e a conta fica no vermelho.

Estar altamente endividado ou passar por um problema de saúde inesperado são dois dos principais motivos para precisar conseguir dinheiro rapidamente. Como muitos consumidores não conseguem poupar dinheiro, esta situação é recorrente no Brasil e apesar de resolver os problemas momentâneos pode comprometer (e muito!) seu futuro.

Existem diversas opções no mercado para conseguir dinheiro emprestado sem recorrer a amigos, parentes ou agiotas, como por exemplo: empréstimo pessoal ou consignado, cheque especial e a antecipação do 13° salário.

Se você chegou em uma situação em que o melhor é pedir dinheiro emprestado, confira aqui algumas opções menos doloridas para te ajudar.

Empréstimo Pessoal

Para conseguir crédito pessoal nos principais bancos do país basta ser correntista. Muitas instituições trabalham com limite de crédito pré-aprovado, o que é muito vantajoso para o consumidor.

É possível obter o dinheiro sem nenhuma burocracia podendo solicitar a “grana” pelo aplicativo do banco, sem necessidade de apresentação de documentos ou aprovação de renda. Em contrapartida, em relação a outras modalidades de empréstimo, as taxas de juros do empréstimo pessoal é bastante alta.

Outro ponto que afasta essa possibilidade são pessoas que tenham restrição de crédito ou estejam com o “nome sujo” na praça.

Empréstimo Consignado

O crédito consignado só pode ser obtido por quem trabalha com carteira assinada, aposentados e pensionistas do INSS e funcionários públicos. As parcelas do empréstimo são descontadas mensalmente do salário. Por isso, as taxas são mais baixas que as dos empréstimos convencionais. O valor da parcela não pode exceder a 30% do salário sendo possível fazer mais de um empréstimo ao mesmo tempo desde que a soma das parcelas não ultrapasse os 30%.

O trabalhador deve procurar o RH da empresa e verificar se a mesma tem convênio com instituições financeiras que oferecem empréstimo consignado. É possível fazer um consignado mesmo não sendo correntista do banco. Aposentados, pensionistas e funcionários públicos devem procurar diretamente as instituições financeiras que oferecem esta modalidade.

Embora façam análise de crédito, muitos bancos liberam crédito mesmo para quem está negativado (nome sujo) já que a parcela será debitada diretamente do salário.

Atualmente as taxas variam de 1,5% a 3% ao mês.

Caso o trabalhador seja demitido, é óbvio que a dívida continua. Geralmente os contratos de empréstimo consignado tem uma cláusula que prevê o desconto de até 30% das verbas rescisórias para fins de quitação do empréstimo. O trabalhador pode tentar negociar a quitação fazendo um refinanciamento da dívida (que terá taxas mais altas).

Cheque Especial

Essa modalidade é uma das mais utilizadas pelos brasileiros por conta da sua facilidade, o que é de fato a única vantagem de usar o serviço. Em contrapartida, as taxas de juros cobradas no cheque especial são bastante altas, sendo um dos maiores do mercado.

Neste caso, a dívida pode virar uma “bola de neve” caso o devedor não consiga quitar o débito rapidamente. A dica é usar o cheque especial apenas para cobrir pequenos gastos e devolver o valor ao banco o mais rápido possível, para não sofrer o peso dos juros.

Rotativo do cartão de crédito

O rotativo do cartão de crédito, semelhante ao cheque especial, se destaca pela facilidade. Porém, os juros cobrados são altíssimos, superando os dos outros tipo de empréstimo. Veja as novas regras do rotativo aqui.

Veja as opções para conseguir dinheiro emprestado e saia do aperto!

Antecipação do IR

Para quem tem restituição do Imposto de Renda uma boa opção e a antecipação do IR. Nesta modalidade, você antecipa o valor a receber e quando o mesmo for creditado em sua conta será descontado pelo banco.

Para conseguir a antecipação você deve ser correntista – óbvio – e indicar na Declaração do Imposto de Renda os dados da sua conta para fins de restituição.

Após entregar a Declaração para a Receita Federal você deve se dirigir até a agência onde tem conta e apresentar a Declaração e outros documentos que o banco vier a exigir (geralmente um documento de identificação, cartão do banco e holerite, mas às vezes nem isso).

Tudo vai depender do seu relacionamento com o banco. Se você tem outros produtos como cartão de crédito e seguros, não tem dívidas juntos ao banco, restrição no CPF, isto vai facilitar sua solicitação.

O banco fará uma análise e te informar o quanto poderá te antecipar do valor que você tem a restituir. Alguns clientes conseguem antecipar até 100% da restituição, outros bem menos.

Da mesma forma, a taxa também varia muito de cliente para cliente e de banco para banco. Atualmente as taxas variam entre 2% e 5% ao mês.

A antecipação é indicada para quem precisa de dinheiro com urgência e / ou quer quitar dívidas com taxas mais altas.

Lembre-se sempre de que há o risco da chamada malha fina – quando a Receita Federal acredita que há alguma inconsistência na Declaração. Quando isso acontece a restituição atrasa e você pode cair no efeito bola de neve.

Antecipação do 13º salário

Assim como pode antecipar o IR, trabalhadores com carteira assinada, aposentados e pensionistas do INSS e funcionários públicos também podem antecipar o 13º.

O 13º salário é pago em duas parcelas, a primeira deve ser paga até o dia 30 de novembro e a segunda até 20 de dezembro. Esta primeira parcela também pode ser antecipada quando o trabalhador solicita as férias.

Os bancos têm linhas de crédito para o 13º. Para obtê-las é preciso receber o salário ou benefício no banco em que for solicitar o empréstimo.

Após análise o banco irá informar o quanto pode antecipar e quais as taxas.

As taxas costumam variar muito e, atualmente, vão de 2% a 5% ao mês.

Uma dica: procure o RH da sua empresa e tente antecipar o 13º diretamente com a mesma. Mesmo que já tenha recebido a primeira parcela nas férias, algumas empresas aceitam antecipar também a segunda parcela. Não custa tentar afinal, o ‘não’ você já tem.

Lembre-se que caso seja demitido ou peça demissão antes de receber o 13º a dívida continua!

Penhor

Uma forma menos utilizada e conhecida pelos brasileiros é o penhor.

No penhor você obtém um empréstimo e oferece como garantia um objeto de valor como joias em ouro ou pedras preciosas como anéis, brincos, braceletes, relógios, canetas etc. Prataria também pode ser penhorada.

Você deve levar o objeto a ser penhorado até uma agência de penhor da Caixa Econômica Federal. Será feita uma avaliação do valor e você poderá obter até 90% deste valor como empréstimo (dependendo do relacionamento com banco, você pode obter até 100%).

A taxa gira em torno de 2% ao mês e não há análise de crédito. Os prazos para quitação do empréstimo são de 30, 60, 90 e 180 dias e são renováveis. Se não quitar o empréstimo o objeto irá a leilão.

Empréstimos com amigos e parentes

Esta talvez seja a forma de empréstimo mais difícil. Não por causa das taxas, prazos e parcelas de pagamento, mas sim pelo constrangimento.

Afinal, pedir dinheiro emprestado para amigo (s) e parente (s) é sempre complicado porque envolve confiança e ninguém quer arriscar a amizade e o companheirismo. É difícil tanto para quem pede emprestado quanto para quem empresta.

Uma maneira de tentar diminuir o constrangimento é colocar as coisas no papel. Embora o credor seja uma pessoa com quem você tem contato, intimidade, talvez ambos se sintam mais seguros colocando tudo no papel, de maneira formal. Isto pode até ajudar a evitar desentendimentos no futuro.

Os empréstimos feitos com parentes e amigos são mais complicados do que os que são feitos com bancos porque para estes você é um cliente e para sua família e amigos a relação é pessoal.

Cuidados ao pedir dinheiro emprestado

O ideal é que você não peça dinheiro emprestado, mas, se não tiver outra opção, procure sempre observar alguns pontos importantes:

  • Em primeiro lugar, verifique quem oferece as melhores taxas.
  • Depois faça as contas e saiba o quanto você pode pagar mensalmente.
  • Os juros são calculados em função do tempo, ou seja, quanto mais longo o prazo, quanto mais parcelas você contratar mais juros você irá pagar.
  • E lembre-se que você pode quitar qualquer empréstimo, financiamento, dívida antecipadamente pagando juros proporcionais.
Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares