O que é a manutenção preventiva 

É a revisão periódica de itens como pneus, sistema de freios, iluminação, suspensão e fluídos, considerados fundamentais para o bom funcionamento do veículo. 

Tem como principal objetivo prevenir falhas que poderiam colocar o condutor, passageiros e pedestres em risco.

Por ser um procedimento relacionado diretamente com a segurança, é imprescindível que a manutenção preventiva seja feita por um profissional mecânico habilitado e de confiança. 

Maior segurança com economia

A troca ou reparo dos itens que estão desgastados, a lubrificação de algumas peças e a iluminação adequada tornam o veículo mais confiável e reduzem bastante a chance de ocorrer um acidente por falha mecânica ou elétrica.

Uma simples lâmpada de freio danificada (aquela que acende quando o motorista aciona o breque) pode causar um grave acidente. 

Se um veículo com esse problema para de repente em uma via movimentada, o condutor que vem logo atrás dificilmente vai perceber a parada repentina e não conseguirá frear a tempo de evitar a colisão.

Como ela pode reduzir seus gastos com veículos

Mesmo assim, muitos proprietários não fazem a manutenção preventiva alegando que ela não passa de um custo a mais. Os especialistas da área discordam. 

Eles garantem que a revisão periódica é, no mínimo, 40% mais barata que a manutenção corretiva (aquela que você tem que fazer quando seu veículo quebra).

Acontece que os componentes de um veículo são interligados entre si e o baixo desempenho ou desgaste de apenas um deles pode afetar negativamente o funcionamento de vários outros, incluindo o motor e o câmbio que são muito complexos e caros de se reparar.

Seguindo essa lógica, levar o veículo com frequência para uma revisão deixa de ser apenas uma atitude prudente e se torna também um ato de economia. Pagar pela troca de algumas peças mais simples é mais vantajoso que arcar com os elevados custos de um conserto urgente. 

Também temos que colocar na conta o tempo que a pessoa fica sem o seu meio de transporte. 

As revisões normalmente levam algumas horas até que o veículo seja liberado para uso. Já nos consertos (manutenção corretiva), perdem-se dias e às vezes semanas, pois tudo depende da disponibilidade de peças, da agenda do mecânico e da complexidade do problema. 

Se o dono do veículo precisa dele para trabalhar, o prejuízo pode ser ainda maior.

Evitando os custos de conveniência

Imagine a seguinte situação. Você está viajando de carona com um amigo que não tem seguro veicular e não costuma fazer a manutenção preventiva. O carro dele quebra no meio do caminho, durante a noite, em um local afastado de qualquer área urbana. 

A falta de cuidado do seu amigo com o próprio carro lhe custará um bom dinheiro, pois essa situação é típica dos custos de conveniência.

Um guincho chamado às pressas para um local distante, tarde da noite, certamente sairá mais caro por ser muito conveniente.

O mesmo acontece com o conserto do veículo, que terá que ser feito por um mecânico desconhecido e que cobrará um valor acima da média por ter sido procurado naquele horário. 

Se ele for o único mecânico da região então, o conserto custará ainda mais e seu amigo não terá opção a não ser pagar. 

Essa situação resume bem a importância de contratar um seguro auto e fazer a manutenção preventiva de tempos em tempos.

O cuidado frequente com o veículo reduz muito a probabilidade de um acidente ou uma pane técnica. Com isso, o proprietário foge de gastos inesperados em casos de emergência.

Mais desempenho e menos gastos

Além de ficar mais tranquilo e evitar custos maiores, o proprietário que faz a manutenção preventiva acaba melhorando o desempenho do seu veículo. 

O correto funcionamento de todas as peças e sistemas imprimem uma potência otimizada ao veículo, isto é, ele se torna mais eficiente na relação quilômetro por litro.

Desse modo, o gasto mensal nos postos de combustível será menor e a durabilidade de algumas peças ligadas ao sistema de abastecimento e injeção será muito maior.  Vale lembrar que quanto mais tempo uma peça durar, mais vai demorar para que o dono do veículo gaste com sua reposição. 

Lembre-se ainda que um veículo em bom estado e com funcionamento correto terá um preço de revenda mais alto e será mais fácil para o seu proprietário encontrar compradores.

Quando fazer a manutenção preventiva do veículo

Para veículos novos, que ainda estão em garantia, o ideal é fazer as revisões de acordo com o calendário da concessionária. Essa informação geralmente está presente no manual do proprietário ou no site da montadora.

Já para os seminovos ou mais antigos, esse procedimento deve ocorrer de acordo com a frequência de utilização. Em média, a cada 10 mil quilômetros o veículo deve ser revisado.

Tenha uma reserva financeira para o veículo

Assim como todos os outros gastos, os custos com o cuidado e manutenção do veículo devem estar presentes no planejamento financeiro do proprietário. 

O primeiro passo é pedir ajuda ao mecânico para saber o custo médio de cada revisão. Em seguida, tem que separar uma verba mensal para que não faltem recursos na próxima visita à oficina e nenhum item de segurança deixe de ser verificado.

Essa reserva ainda pode ser útil em caso de um acidente de trânsito, onde o proprietário fica responsável por arcar com a franquia do seguro ou pagar de forma particular pelo conserto do veículo próprio ou de terceiros. É muito melhor ter esse valor já garantido do que fazer uma dívida por ter sido pego de surpresa. 

Criar e manter uma reserva para custear as revisões do veículo é uma opção inteligente, pois dessa forma não há necessidade de tirar dinheiro de outras finalidades para garantir a segurança da sua família e a conservação do seu patrimônio.

Comentários