Powered by Rock Convert

Quem nunca sonhou com um carro zerinho na garagem? Ter um carro novo é o desejo de muita gente, mas a realidade pede pés no chão e planejamento. Automóveis zero são mais caros, o que nos faz optar pelos usados ou seminovos. Vamos ver qual a melhor opção para você?

Procure o melhor preço

Pesquisas indicam que o segmento de carros usados cresceram bastante nos últimos anos, principalmente por conta do custo mais baixo dos veículos. Um exemplo mais prático são os veículos importados ou carros que já deixaram de ser fabricados, que sofrem uma desvalorização mais alta e tem suas próprias oficinas autorizadas e peças de reposição que estão cada vez mais difíceis de encontrar no mercado.

Uma maneira de comprar um carro por um valor mais baixo, é justamente optar por um modelo que já esteja saindo do mercado. Por terem uma venda mais complicada, as concessionárias costumam a ser mais flexíveis na negociação desse tipo de veículo.

Porém, isso não é uma boa alternativa, se você se atentar ao conforto, a segurança e as novidades tecnológicas. Afinal, um modelo que está saindo de linha, está deixando de ser fabricado justamente porque já existem novos modelos que superam suas versões.

Pesquise em sites e revistas especializadas, quais são os veículos que tem menos saídas nas revendas. Alguns exemplos disso são os carros rebaixados, carros comprados em leilão, carros com problemas na pintura, carros que tem a cor de táxis ou outras cores mais chamativas, não costumam vender bem. Então, se você se interessa por algum modelo desses tipos, saiba que você pode negociar um desconto maior na hora da compra.

Depreciação

Essa é uma lei imutável do mercado! Ao sair da concessionária, seu carro já começa a sofrer com a depreciação e aos poucos vai perdendo valor de venda. Geralmente, quanto mais for o preço do veículo comprado, mais rápido ele tende a cair. Ficar de olho na tabela FIPE é essencial para consultar a desvalorização de todos os modelos de veículos novos e usados e é atualizada por mês.

O consumidor tem optar por comprar carros usados por ter um valor mais baixo, mas também pelo fato de que o auge da depreciação dos modelos já passou. Uma coisa é importante de checar é quilometragem percorrida por um carro usado, fator que influencia bastante no preço de revenda.

O período crítico de depreciação de um veículo acontece nos primeiros três anos após sua fabricação. Num confronto entre veículos de mesmo valor, os carros usados, podem ter outras vantagens como mais potência, melhores itens, etc. Um exemplo mais prático é que um modelo de 2015 pode oferecer melhores condições do que um carro 0 km.

Isso por que em alguns casos, os donos de veículos seminovos são forçados por diversos motivos a vender seu veículo para se recuperar financeiramente e estes carros já estão mais equipados, com diversos itens e apresentam controle de estabilidade, possuem ar-condicionado e por isso são mais atrativos para venda do que um carro zero.

Carro zero

Vantagens: O carro zero é livre de danos e ainda vem com a garantia da montadora. Um carro zero quilômetro, dentro do período de garantia, consegue emplacar preços mais baixos no seguro.

Você não precisa se preocupar tanto com a documentação, já que ela vem regularizada direto da concessionária (porém com custos extras). Em geral, eles são mais econômicos em relação a combustível. Além disso, existe a possibilidade de revende-lo depois com mais facilidade.

Desvantagens: preço alto. Infelizmente, todas essas vantagens vêm a um custo.

Escolha comprar um carro zero se…

…Você economizou dinheiro e tem se planejado há algum tempo para fazer essa compra;

…Você faz questão das novidades tecnológicas e de design;

…Pretende mantê-lo durante três anos ou mais.

Quer opção melhor ainda? Invista para poder comprar o carro à vista. Imagine o quanto terá de desconto, considerando que não vai precisar pagar juros! Se ter um carro zero km é o seu sonho, passe um ano juntando e investindo um dinheirinho para isso, e assim poupará a dor de cabeça de ter que arcar com as parcelas do financiamento.

Carro usado

Vantagens: o carro usado é obviamente mais barato. Pode-se argumentar também que o IPVA um pouco abaixo de que um carro novo.

A desvalorização relativa é menor, considerando que um carro deprecia assim que sai da concessionária. Quando você compra um carro usado, quando quiser revendê-lo, a diferença de preço não será tão gritante quanto no caso de um carro zero.

O custo de transferência de documentos é baixo, já que se resume a uma taxa cobrada pelo Detran, que varia de cem a duzentos reais, em média.

Desvantagens: pedir uma vistoria do carro é fundamental, para saber se ele vem com danos ou funcionamento comprometido.

Escolha comprar um carro usado se…

…Você tem um budget (orçamento) mais baixo;

…Você não se importa com atualizações de modelo, ou seja, possuir o que há de mais moderno;

…Você encontrar um veículo em bom estado e que consiga suprir as suas expectativas

… Há o risco de, num futuro próximo, ter de trocá-lo ou não precisar mais de carro. É o caso de quem planeja mudar de cidade, quem usa pouco o automóvel para se transportar no dia a dia, entre outros.

E os seminovos?

Consideram-se carros seminovos aqueles veículos com até 3 anos de uso (que ainda estejam dentro da garantia), com no máximo 30 mil km rodados. Eles combinam a vantagem do preço baixo com o pouco tempo de uso: o melhor dos dois mundos. A melhor parte é que o novo dono poderá contar com a garantia que a montadora ofereceu ao antigo dono!

Faça um test-drive

Independente do carro, novo ou usado faça um test-drive no veículo antes de comprá-lo. É essencial rodar um pouco com o carro antes de comprar, para checar as condições dos veículos em particular.

Confira o que é importante observar num test-drive:

  • Entrar e sair do carro é fácil? Ou você precisa se agachar para não bater com a cabeça?;
  • O carro tem espaço suficiente para suas pernas? E também para suas coisas?;
  • O assento do condutor é confortável?;
  • Todos os assentos do carro são confortáveis e fáceis de serem ajustados?;
  • Existe um apoio para lombar no assento do motorista?;
  • Todas as luzes do painel acendem corretamente?;
  • A parte elétrica (setas, faróis, lanternas, luz de ré, luz da placa, luz de freio, luz interna) estão funcionando perfeitamente?;
  • Os retrovisores têm boa visibilidade?;
  • Com o veículo em movimento, você sente o cheiro de gasolina queimando ou de gás?;
  • Como estão os pneus? Se necessário, peça um auxílio para quem tem mais conhecimento. Os pneus do carro devem estar bons para passar numa vistoria pelo menos;
  • Como estão os freios do carro? O carro para facilmente ou você notou que precisa colocar todo o peso do pé no freio para fazer o veículo parar? O mesmo vale para o acelerador e para a embreagem;
  • Os pedais rangem? Qualquer um deles, freio, embreagem ou acelerador;
  • Abra o capô e cheque o nível de óleo, o nível de água no radiador e veja se há alguma coisa que lhe chame atenção;
  • Olhe também debaixo do carro depois de ter finalizado o test-drive, cheque se a poças de óleo ou de água;
  • Verifique também a temperatura do veículo, veja como o carro reage, se ele esquenta muito rápido, se a água do radiador baixa muito rápido;
  • O ar-condicionado e o rádio estão funcionando de maneira correta?

Após o test-drive, peça também aos vendedores para checar os registros de manutenção e também em caso de compra peça para acompanhar a revisão que o veículo deve passar antes de ser entregue a você.

Pesquise os custos com manutenção

Nesse quesito, os carros novos têm clara vantagem, já que saem das concessionárias com garantia de fábrica, que varia entre um e seis anos. Mas para ter direito a garantia é preciso fazer as revisões exclusivamente no local onde o veículo foi comprado. Essa é uma forma que as concessionárias arrumaram para tentar fidelizar o cliente.

Muitas concessionárias estipulam uma tabela de preços fixos para os serviços oferecidos, o que é bastante vantajoso e evita surpresas de preço muito elevados. E também em comparação com carros usados, veículos novos têm menos necessidade de manutenção. A manutenção de um carro usado depende bastante também do estado do veículo e de como ele foi cuidado pelo último proprietário.

Geralmente, os problemas com os carros usados costumam ser maiores logo após a compra, já que depois desse período, depois de trocar as peças necessárias e cuidar melhor do veículo, os prejuízos são menores.

Calcule os valores de IPVA e DPVAT

Os carros usados levam vantagem nesse ponto. Os gastos com um carro novo em questão de impostos sempre são maiores, chegando a 10% do valor do carro. Algumas concessionárias já vendem veículos zero KM com IPVA pago e documento regularizado. O seguro DPVAT gira em torno de 5% do valor do veículo, mas em alguns estados já tem um preço fixado, o IPVA gira em torno de 4% do valor do veículo, podendo ter o desconto em questão de combustível do veículo.

Um exemplo, no Rio de Janeiro um carro com GNV tem uma IPVA com porcentagem de 1,5% do valor do veículo. Um carro flex (álcool e gasolina) também tem um desconto no IPVA, que geralmente fica em torno de 3% do valor do veículo.

Por se basear no valor do veículo, o IPVA tende a ser mais baixo a cada ano que ano, por conta da desvalorização certa do carro.

Saiba o que você quer

Por fim, a última dica é ter bem clara qual é a sua expectativa em relação ao seu futuro carro. O que você espera dele? Preço baixo? Praticidade? Em que situações irá utilizá-lo e com que frequência? O que é importante que um carro tenha para você?

Ter esses aspectos em mente faz diferença para tomar esse tipo de decisão. Muitas vezes, somos levados a crer que possuir um carro zero deveria ser um objetivo de vida de todo mundo; ou, ainda, deixamo-nos iludir pelo status que um carro irá nos conferir. Não há nada de errado em ter um sonho de consumo, mas ele tem que fazer sentido para você. Saiba o que você quer e avalie com frieza qual é a melhor opção para a sua realidade.

A partir do que foi lido, qual escolha você tomaria? Comente!

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares