Powered by Rock Convert

Lugar preferido pelos investidores de risco, é através da Bolsa de Valores que se é possível a obtenção de vultosos rendimentos ou déficits financeiros.

Fiscalizadas pela CVM, Comissão de Valores Mobiliários (o Banco Central das transações financeiras com rendas variáveis), as Bolsas de Valores podem ser sociedades anônimas ou associações civis sem fins lucrativos, que proporcionam o local ou sistema adequado para a realização de transações envolvendo, títulos e valores mobiliários, como ações e debêntures.

Como investir em Bolsa de Valores

Primeiro, você precisa abrir uma conta corrente em uma sociedade corretora de valores mobiliários ou distribuidora de valores mobiliários. Essas instituições são as responsáveis por intermediar as negociações envolvendo investidores e tomadores de recursos (empresas). Depois, basta você ficar atento às oscilações da bolsa, ao que acontece no mercado interno e externo, acompanhando dados referentes às companhias abertas todo dia.

Vale relembrar que é sempre um investimento de risco e acompanhar as tendências do mercado é o fato que vai aumentar a probabilidade do investidor obter bons lucros.

BM&FBovespa, o que é?

Foi criada em 2008 com a união da Bolsa de Mercadorias e futuros com a Bovespa (Bolsa de São Paulo). Com essa fusão, a BM&FBovespa tornou-se a segunda maior das américas, perdendo apenas para os Estados Unidos. Vale salientar que no Brasil já havia outras Bolsas antes, como a própria Bovespa, que foi fundada em 1890.

O que são companhias abertas?

São sociedades anônimas de capital aberto, ou seja, são formadas por valores mobiliários e possuem vários sócios ou acionistas. Para atuar, estes tipos de empresas necessitam de autorização da CVM.

Definição de debêntures e ações

De forma resumida, abaixo vamos definir cada um desses termos.

  • Debêntures: são títulos que garantem ao investidor um pagamento certo numa data determinada, sem direito à participação nos lucros da empresa, tal qual ocorre nas ações. Em outras palavras, significa que uma companhia emite debêntures com o objetivo de captar recursos e, quando o investidor as adquire, gera renda para a empresa no momento da compra. Para o investidor, o lucro vem na data acordada na escritura de emissão desses títulos;
  • Ações: são cotas de uma determinada empresa, que, quando aberta, tem seu patrimônio dividido e distribuído entre investidores e sócios. Por isso, quando você compra uma ação de uma companhia, automaticamente, torna-se dono dela também, e passa a ter direito sobre os lucros auferidos. Lógico que estes serão proporcionais ao tamanho do seu investimento.

Quanto rendem os investimentos da Bolsa de Valores?

Essa questão é bem relativa e imprevisível. O lucro ou prejuízo de investidores que operam com R$ 5 mil, será diferente do que os que operam com R$ 100 mil. Resumindo, o mais importante é escolher as ações das empresas certas nos momentos certos, só assim você vai lucrar.

Com isso, sempre vai existir os investidores que vão lucrar mais e os que vão perder mais dinheiro. Tudo na Bolsa de Valores é questão de estudo e avaliação, lembre-se sempre dos riscos e tente diminuir a oportunidade de falha, estudando com cautela as possíveis valorizações das ações postas à venda diariamente na Bolsa de Valores.

Ações preferenciais e ordinárias

As ordinárias são aquelas que conferem ao titular, além da participação nos lucros, direito a voto nas assembleias de determinada empresa de capital aberto. Já as preferenciais não dão direito a voto, no entanto, conferem prioridade no lucro aos seus detentores.

Tem alguma dúvida ou sugestão? Envia para a gente e seja sempre bem-vindo (a).

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares