O sonho de muita gente é equilibrar suas finanças. Isso inclui superar dívidas, alcançar objetivos, garantir um futuro mais tranquilo e ficar longe dos problemas de relacionamento que a falta de dinheiro pode trazer.

Se este é o seu caso, acompanhe as nove dicas que a nossa equipe selecionou para te ajudar a construir uma relação mais saudável com o dinheiro.

1. Tenha um orçamento pessoal

Certamente você sabe dizer quanto paga no aluguel, na parcela do carro ou na mensalidade da escola. Mas, dificilmente lembra do valor exato que gastou com guloseimas, pedágios ou gorjetas.

Isso acontece porque nosso cérebro tem mais facilidade de gravar valores maiores e mais recorrentes e os valores menores, que aparecem de vez em quando, acabam esquecidos.

A única forma de estar por dentro de como e quando nosso dinheiro foi gasto é fazer e acompanhar um orçamento pessoal, detalhando todas as receitas e despesas, sem exceção.

Assim, será possível entender seu padrão de consumo e agir para diminuir ou eliminar gastos desnecessários.

2. Pague à vista

Você quer comprar um produto ou serviço, mas não tem todo o dinheiro necessário. 

Vale a pena fazer um parcelamento ou é melhor separar um pouco de dinheiro por mês até conseguir o valor total? A segunda opção é a mais vantajosa.

Quando você faz uma compra à vista, você foge dos juros e taxas do parcelamento. Com isso, você deixa de pagar o valor de dois ou até três produtos para levar apenas um.

Pagando dessa forma, você também tem mais margem para negociar um desconto com o vendedor, uma vez que a quantia total da compra entrará no caixa da loja de uma só vez.

As exceções ficam por conta de produtos ou serviços de alto valor agregado como os imóveis, os veículos ou as viagens internacionais, por exemplo. Como poucas pessoas têm condição de pagá-los à vista, os financiamentos, nesses casos, são bem-vindos.

3. Escolha melhor seus gastos

Escolher gastos é uma tarefa indispensável para quem quer melhorar sua situação financeira.

No orçamento pessoal, quando for separar sua verba, dê preferência aos objetivos de médio e longo prazo e aos gastos de primeira necessidade, como alimentação e transporte. Em relação às finanças, nada é mais importante que a sua sobrevivência e a realização dos seus sonhos. 

Na sequência, reserve um dinheiro para investir no futuro (aposentadoria) e só depois dê espaço aos demais gastos. 

Quem prioriza os gastos de acordo com essa lógica tem mais condições de suprir suas vontades do presente, sem comprometer as necessidades do futuro.

4. Fuja das compras por impulso

Grande parte das dívidas nasce das compras por impulso, ou seja, daqueles produtos ou serviços que você não queria e não precisava, mas acabou comprando porque achou barato, caiu na lábia do vendedor ou foi influenciado por um amigo.

Por isso, jamais tome a decisão de compra ainda dentro de uma loja. Saia do local, dê uma volta e pense se você realmente precisa daquilo. Se a resposta for negativa, não retorne.

Você irá se surpreender com a quantidade de coisas desnecessárias que você deixará de comprar.

5. Converse sobre dinheiro

No Brasil ainda é um tabu falar sobre dinheiro. Poucas pessoas se sentem à vontade para discutir esse assunto devido, principalmente, ao medo e à falta de conhecimento.

Se você não fala sobre dinheiro com sua família ou amigos por medo de expor sua vida financeira, entenda que você não precisa abrir seu extrato bancário para as pessoas para obter o direito de participar de discussões desse tipo.

Agora, se o motivo de evitar esse tema é a falta de conhecimento, saiba que isso só vai mudar quando você resolver falar mais sobre finanças e aprender com as experiências dos outros, sejam elas negativas ou positivas. 

Nessas conversas, tente perguntar mais do que responder. Busque saber como as outras pessoas agem em relação ao dinheiro e absorva aquilo que achar mais adequado à sua realidade.

6. Crie outras fontes de renda

Não importa se você é funcionário de uma empresa, servidor público ou dono do seu próprio negócio, você sempre estará sujeito às variações da economia e suas consequências como o aumento de preços, por exemplo.

Uma das maneiras mais inteligentes de se proteger desses problemas é criar uma nova fonte de renda.

Vale fazer gostosuras para vender no bairro, dar aulas particulares daquele assunto que você domina, cuidar de crianças ou idosos, fazer artesanato, trabalhar como fotógrafo freelancer ou qualquer outra atividade que você tenha talento e disposição.

O dinheiro extra que vem com esse tipo de trabalho poderá te ajudar a passar pelos momentos de turbulência econômica com muito mais tranquilidade.

7. Aprenda sobre investimentos

Guardar dinheiro é diferente de investir. Dificilmente você vai conseguir realizar seus sonhos financeiros se você apenas se esforçar para guardar dinheiro. Isto porque a inflação vai corroer suas reservas mais cedo ou mais tarde.

Investir é o caminho. Mas, isso não pode ser feito de qualquer maneira e sem nenhum tipo de conhecimento prévio. 

Busque aprender sobre os investimentos. Procure saber como eles funcionam, quais as taxas e impostos, qual a liquidez, qual o risco e qual a rentabilidade. Somente depois de entender todos esses pontos você terá condições de investir conscientemente.

8. Veículo não é investimento

Diferentemente dos imóveis, os carros e motos nunca se valorizam com o tempo. Se você comprar um veículo novo hoje, em poucos dias ele valerá menos do que você pagou. Por isso, quem compra um veículo para investir está cometendo um erro financeiro grave.

Vale lembrar que além de não gerar lucro, o veículo traz custos com combustível, manutenção, estacionamento, impostos entre outros.

Somente no caso de você utilizar o veículo como ferramenta de trabalho ou atuar profissionalmente com a revenda desse bem é que ele poderá ser considerado uma fonte de renda.

9. Cuidado com golpes financeiros

Infelizmente os crimes digitais cresceram junto com a evolução tecnológica. Não são raros os casos de pessoas que perderam muito dinheiro em sites ou aplicativos falsos, porque acreditaram em promoções e ofertas muito tentadoras.

Sinto em informar, mas não existe maneira lícita de ganhar dinheiro fácil. Qualquer oportunidade nesse sentido é uma tentativa de golpe.

Jamais compartilhe seus dados pessoais (nome, numeração de documentos ou cartões de crédito, endereço e senhas) com pessoas, lojas ou sites que você não conheça.

Previna-se. Cuidar do seu dinheiro suado faz bem para o bolso e evita aborrecimentos. 

Esperamos que esse conteúdo possa te ajudar na busca do equilíbrio financeiro e de uma vida mais próspera. Obrigado. 

Comentários