Você já se perguntou o porquê de muitas pessoas com uma renda reduzida conseguirem alcançar os seus objetivos, de maneira mais rápida e eficiente do que aquelas com uma renda superior? Na verdade, o diferencial está na gestão financeira, ou na falta dela.

Muitos de nossos anseios dependem da forma como administramos nossas finanças. Dessa forma, para ajudá-lo a se organizar financeiramente, listamos 6 estratégias extraídas da obra “Como Organizar Sua Vida Financeira”, de Gustavo Cerbasi, referência em educação financeira no Brasil. 

Sabemos que o desejo de conquistar nossos objetivos é apenas um sonho, enquanto não propormos ações para alcançá-los, certo?

No Brasil, menos de 5% das pessoas conseguem manter sua situação financeira dentro das recomendações de equilíbrio. 

Sendo assim, compilamos os mais ricos ensinamentos da obra para transformar a maneira com que você vê, organiza, administra e investe seu dinheiro, para alcançar uma vida mais segura, tranquila e repleta de possibilidades.

1. O passo mais importante é possuir autoconhecimento

O conceito de equilíbrio financeiro tende a variar de pessoa para pessoa, além de, inclusive, variar para um mesmo indivíduo dependendo de fatores como a idade, desejos, renda, gastos familiares e investimentos, por exemplo.

Por esse motivo, o autoconhecimento é tão importante. Apesar de trazermos lições muito valiosas, elas não são como uma receita pronta. 

É necessário conhecer a si mesmo, suas maiores necessidades, ambições e adversidades, para, assim, nortear as suas ações.

A obra destaca que quem possui equilíbrio financeiro são aqueles dispostos a adaptarem seus padrões de vida para que sejam compatíveis com a sua estabilidade individual. 

O grande ponto é ter consciência de quem você é, quais são seus desejos e o que está disposto a fazer para conquistá-los, sempre focando em manter e ampliar o que você já tem, ao invés de buscar felicidade naquilo que ainda não possui.  

2. Organize seu orçamento doméstico e use-o com inteligência

Enquanto o conceito de equilíbrio financeiro pode ser variável, o equilíbrio orçamentário é restrito a gastar menos do que recebe e, constantemente, investir a diferença.

Para auxiliar no controle orçamentário, é ideal possuir uma fiscalização detalhada dos gastos com frequência, para que seja possível tomar atitudes de redução, priorização e organização baseadas nisso.

Portanto, os principais cuidados para organizar seu orçamento e usá-lo de maneira inteligente são: manter a constância e periodicidade de controle; considerar todas as fontes de receita e despesas (mesmo as informais); considerar despesas fixas e eventuais; etc.

Por último, é muito importante avaliar o saldo disponível, aquele responsável por viabilizar a tomada de decisões e a realização de sonhos. Este é o dinheiro que você utilizará para fazer aplicações financeiras e contribuições periódicas para seus objetivos de poupança e consumo de médio prazo.

É necessário frisar ainda que o saldo disponível após o ajuste dos outros compromissos deve ser incluído no equilíbrio orçamentário. Você deve estar preparado previamente para investir, ao invés de investir apenas “o que restou”, se assim o fizer, nunca restará.

3. Esteja preparado para as compras antes de fazê-las

Você já comprou alguma coisa por impulso, em um momento de empolgação ou extrema vontade, e, no fim das contas, se arrependeu ou percebeu que poderia ter conseguido um valor muito mais barato pelo mesmo produto ou serviço?

Isso é muito comum, podemos pagar  um pouco mais caro em um ítem do supermercado, ou até mesmo gastar um valor absurdo em um imóvel, por exemplo.

Dessa forma, para escolhermos com cautela e da maneira mais eficiente, primeiramente, é necessário ter consciência do que são necessidades e o que são vontades. Você tem necessidade de comida, certo? Mas tem vontade de comer lagosta, por exemplo.

Entretanto, fique calmo, isso não significa que você não deve comer a lagosta! O planejamento de compras envolve desejar algo, explorar os melhores caminhos para viabilizar seu desejo, escolher o melhor deles e, então, agir!

Sintetizando, a pura vontade de alcançar um objetivo não nos leva até ele, assim como um mal planejamento pode nos levar por caminhos mais difíceis. No entanto, o desejo, aliado a um bom planejamento e à ação bem pensada, de maneira inevitável, nos aproxima de nossos objetivos.

4. Organize-se para usar o crédito a seu favor

O crédito ainda é taxado como um vilão por muitas pessoas, e isso não se deve exatamente por sua própria razão, mas sim pelo mau uso que muitos fazem dele.

Quando usado racionalmente, o crédito é capaz de antecipar sonhos e necessidades. Por isso, uma das principais lições é que ele deve ser usado não somente nos momentos de urgência ou extrema necessidade.

A utilização do crédito é importante por ele ser um registro e confirmação da nossa credibilidade para com nossos compromissos, o que nos favorece a longo prazo, nos oferecendo limites mais altos, juros mais baratos, tarifas de pagamento reduzidas, etc.

Sendo assim, enquanto você possuir a consciência dos riscos e a importância do compromisso firmado usando o crédito, ele nunca será um impasse na sua vida.

5. Mantenha-se em equilíbrio eliminando as dívidas

Existem dois fatores principais que causam o desenvolvimento e acúmulo de dívidas: superestimar nossa capacidade de arcar com as prestações assumidas e não compreender, ou considerar, o real peso dos juros nos contratos que assinamos.

Logo, para nos mantermos longe de dívidas, é importante considerarmos estes fatores, mensurando nossa capacidade de pagamento através do controle orçamentário.

Por outro lado, se as dívidas já existem, alguns passos podem ser seguidos para quitá-las:

  1. Estancar a saída de dinheiro: você concorda que antes de suturar um ferimento é necessário estancar o sangramento, certo? Tome medidas de economia de recursos em casa, faça substituições e, o mais importante, não crie novas dívidas enquanto não puder finalizar as atuais;
  2. Organizar as dívidas: identifique e defina quais devem ser eliminadas primeiro, levando em consideração fatores como as taxas de juros, valor das prestações, etc;
  3. Equilibrar as dívidas: após organizá-las, tome ações para quitá-las, equacionando-as e acompanhando de perto o desenvolvimento de suas finanças;
  4. Aprender com os erros e celebrar a superação deles: este passo é autoexplicativo, não é mesmo?

A solução é baseada em sacrifício intenso por um período determinado, substituição de dívidas e disciplina. Não é um caminho fácil, mas, ao final dele, você encontrará tranquilidade e equilíbrio.

6. Investimentos são bens necessários 

Um dos grandes erros das pessoas é poupar o seu dinheiro e considerar isso como um investimento. Trazemos, então, outra lição importante: poupar não é a mesma coisa que investir.

Se você já reserva certa quantia de seu dinheiro para seus objetivos, você está no caminho certo! Apesar disso, você pode estar perdendo grandes oportunidades de, além de manter esta quantia, ampliá-la.

Sendo assim, para investir é necessário que você leve em consideração dois fatores:

  1. Conhecer seus investimentos: desde a caderneta de poupança, até investimentos na bolsa ou em seu próprio negócio, saber as particularidades de cada um deles faz com que você tome medidas mais assertivas e evite erros e desperdícios;
  2. Conhecer a si mesmo: como mencionado na primeira lição, o autoconhecimento para investimentos te proporciona a possibilidade de controlar seus ganhos e realizar projeções futuras, além de desenvolver uma rotina de controle especial específica para cada investimento.

Concluindo

O planejamento financeiro pessoal é extremamente necessário para o bem estar na vida de todas as pessoas. Mas, como já diria o famoso ditado, isso não significa que o dinheiro compra a felicidade!

Com uma boa gestão financeira que proporcione estabilidade, as pessoas podem se sentir em paz para aproveitar suas relações familiares, de amigos, no trabalho, na saúde, nos estudos, etc, e desenvolver o equilíbrio entre o dinheiro, os sacrifícios e os sonhos.

—————

Este post foi produzido pela equipe do PocketBook4You, uma plataforma que oferece centenas de resumos de livros dos maiores autores e best-sellers da atualidade, e tem como principal missão levar conhecimento diversificado que se encaixa no dia a dia de cada um dos seus usuários, ao redor do Brasil e do mundo!

Comentários