Powered by Rock Convert

As dívidas estão tirando o sono de muitos brasileiros e não é para menos.

Incertezas da economia, fantasma do desemprego, altas taxas cobradas pelos bancos e operadoras de cartão. Não faltam motivos para preocupação.

Por isso, é preciso planejar bem e controlar os gastos. Vamos dar 5 dicas fundamentais para não se endividar durante o ano e colocar a cabeça no travesseiro com mais tranquilidade.

Planejar é preciso, controlar também

Se você não faz um planejamento das suas finanças, não faz um orçamento e não controla seus gastos, está seguindo uma receita certa para perder dinheiro e noites de sono!

Você precisa ter um orçamento, incluindo o seu salário líquido e todos os gastos do ano. Inclua tanto os gastos esporádicos como IPTU, IPVA e escola das crianças, quanto os gastos mensais como água, luz e supermercado.

Além disso, inclua também os gastos com lazer e despesas pequenas como o cafezinho e o happy hour.

Faça as contas e verifique se o que você ganha cobre todos os gastos. Se cobrir, o quanto sobra? Se não cobrir, analise o que pode ser cortado ou se você precisará de uma renda extra.

Para te ajudar, vamos dar 5 dicas para você não se endividar.

1 – Controle o uso dos cartões de crédito

Quando usamos o cartão de crédito podemos ter a falsa sensação de que não estamos gastando nada, afinal, o dinheiro não sai da nossa conta nem do nosso bolso já que você só terá que pagar pela compra em uma data fatura.

Este é o problema: o uso descontrolado de cartões de crédito pode levar a um endividamento e a situação pode se agravar se não conseguirmos pagar o total da fatura no vencimento.

A primeira medida é definir o que pode ser comprado com o cartão. Evite pagar gastos supérfluos como o cafezinho na esquina ou o cineminha no fim de semana. Utilize para gastos com produtos duráveis ou serviços como cursos e assinaturas.

Além disso, estipule um valor mínimo de compras no cartão. Por exemplo, se a compra for menor que R$ 100,00, pague à vista. Estipule o valor de acordo com a sua renda.

Por fim, você precisa mesmo de tantos cartões? Provavelmente não! O ideal é ter apenas um, no máximo dois cartões. E olhe lá!

2 – Fuja do cheque especial

O cheque especial é um dos principais responsáveis pelo endividamento dos brasileiros.

Na verdade, o cheque especial de especial só tem o nome. Trata-se de uma espécie de linha de empréstimo que o banco disponibiliza para que possa ser utilizada automaticamente pelo cliente.

E como todo empréstimo bancário, tem taxas altas e que podem ter o efeito de bola de neve: uma dívida inicialmente controlável pode se transformar em algo impagável a curto ou médio prazo.

Na verdade, as taxas do cheque especial são mais altas que as de um empréstimo.

Controle seus gastos e fuja do cheque especial!

O ideal é que você procure o gerente da conta e solicite o cancelamento do cheque especial. Faça um orçamento e controle seus gastos com rigor. É melhor do que pagar juros para o banco, pode ter certeza!

3 – Reveja seus gastos

Você trabalha o dia todo e no fim de semana sai com o namorado(a)? Tem uma vida corrida e passa pouco tempo em casa? Então, por que você tem uma assinatura de tv com 200 canais?

E aquele café da manhã delicioso que você toma todo dia na padaria perto do seu local de trabalho? Já parou para fazer as contas do quanto você gasta todo mês com esta delícia? Será que não vale a pena acordar meia hora mais cedo e tomar o café da manhã em casa?

Muitas vezes, nos acostumamos com pequenos prazeres do dia-a-dia e não nos damos conta do quanto gastamos todo mês. O dinheiro escorre do nosso bolso sem percebermos.

Faça uma análise dos seus gastos diários e mensais. Reveja tudo e verifique se não vale a pena uma mudança de hábitos.

Pequenas mudanças podem significar uma grande economia no fim do mês.

4 – Tenha objetivos

Que tal uma viagem internacional nas férias?

Ou fazer aquele curso de especialização que você tanto queria?

Para transformar seus sonhos em realizações você precisa por a mão na massa e fazer as contas.

Com isso você, automaticamente, passa a controlar mais as suas finanças, quitando dívidas, evitando gastos supérfluos e desnecessários enfim, fazendo um planejamento.

Ao definir objetivos, seja a curto ou longo prazo, você passa a adotar uma rotina com mais controle de gastos e se interessar em investir seu dinheiro para atingir estes objetivos.

Então pare de sonhar e comece a realizar. Faça as contas e verifique o que você precisa fazer para atingir seus objetivos, o quanto precisa gastar, o que precisa cortar de gastos. Você só tem a ganhar!

5 – Faça uma reserva de emergência

Todos estamos sujeitos a imprevistos.

Seja uma telha quebrada ou um remédio, um gasto imprevisto sempre pode nos surpreender quando menos esperamos.

Por isso, devemos ter uma reserva de emergência, um colchão financeiro, para que não tenhamos que recorrer a cartões e empréstimos.

Reserve uma parte de seu salário todo mês. Os especialistas dizem que o ideal são 10% do salário, mas você pode aumentar este percentual.

Você pode programar para que todo mês determinado valor seja depositado automaticamente em uma conta poupança ou de investimento.

Também é interessante definir uma meta, um valor a ser atingido e que deve ser utilizado somente como reserva financeira.

Para quem já está acostumado a investir, procure opções como renda fixa, que rende mais que a tradicional caderneta de poupança.

O importante é estar preparado para as surpresas que teimam em aparecer.

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares