Fazer um bom planejamento financeiro familiar é essencial para garantir uma boa qualidade de vida e também o futuro.

Só que esse planejamento requer dedicação, pois ele é bem diferente de um planejamento pessoal. Na verdade, ele vai envolver várias pessoas da família, e é preciso que todas estejam realmente engajadas nos objetivos traçados.

Por isso, até, vale a pena avaliar o que é benéfico para cada um e tentar combinar esses objetivos em um só. Ou ainda, definir um objetivo principal e estabelecer outros menores, individuais, pelos quais todo mundo vai trabalhar.

Neste conteúdo, contamos tudo que você precisa saber para executar seu planejamento financeiro familiar. Acompanhe!

O que é planejamento familiar?

Ter planejamento familiar significa ter um plano do que fazer com o dinheiro da família. Ou seja, conhecer sua renda e criar planos futuros de como e quanto gastar esses valores.

É algo que cria não apenas uma perspectiva de futuro, mas também ajuda no presente. Afinal, ficam definidos gastos importantes e metas de economia. Assim, fica mais simples evitar desperdícios e “apertos” nas contas do dia a dia.

Para fazer um bom planejamento familiar, você vai precisar fazer registros. Para isso, existem várias soluções.

Você pode criar, por exemplo, um caderno de planejamento e registrar tudo à mão. As outras opções são digitais, como planilhas e aplicativos de planejamento familiar financeiro.

É importante criar esse planejamento e acompanhar de perto os ganhos e despesas de todos. Assim, se torna possível fazer adaptações ao longo do caminho e garantir que as metas estabelecidas serão cumpridas.

Outro ponto importante é conhecer bem de onde virá o dinheiro. Mais de uma renda deverá entrar nesse planejamento familiar, para que ele fique mais “folgado”. Mas se a renda for apenas uma, o plano deverá ser ainda mais cuidadoso e detalhado, para garantir que os valores darão conta de tudo.

10 dicas de como fazer um planejamento financeiro familiar

A seguir, listamos as melhores dicas para você fazer seu planejamento financeiro familiar e garantir que ele dê certo para todos os membros do seu núcleo familiar.

1. Converse com toda a família

Para economizar gastos e também definir planos, é fundamental conversar com todos os membros da família.

Cada pessoa vai precisar ter comprometimento com o que ficou definido, pois apenas juntos os objetivos serão alcançados.

De pouco vai adiantar, por exemplo, os pais se preocuparem com a economia de energia elétrica, se os filhos passarem a noite com o computador ligado.

Mesmo os pequenos gastos farão diferença no final do mês e na conta total do plano familiar.

É por isso até que é importante definir um objetivo comum. Se todos estiverem entusiasmados com o que vão alcançar, o trabalho em conjunto será mais simples.

2. Ensine para as crianças a importância da educação financeira

Vale a pena, desde cedo, ensinar as crianças a importância do dinheiro e do cuidado com as finanças. Assim, elas vão poder ajudar no dia a dia das despesas, e também vão criar responsabilidade financeira desde já.

Por exemplo: muitas vezes, é difícil negar o pedido de uma criança. Porém, comprar tudo o que ela deseja vai desbalancear o orçamento e prejudicar o orçamento familiar.

Assim, é importante deixar claro que as compras precisam ser bem planejadas. Se a criança já tem uma mesada, aproveite para ajudá-la a economizar e comprar por conta própria. Isso vai criar maior noção financeira e também haverá a satisfação dela de conseguir realizar o próprio desejo.

3. Saiba as receitas e custos

Para que um planejamento financeiro dê certo, é preciso conhecer seu orçamento atual.

Dessa forma, na hora de começar, liste qual a sua renda e todos os seus gastos. Mesmo os gastos menores, como a compra na padaria.

Tudo deve estar anotado, para que você tenha uma visão clara do quanto gasta, como gasta, que despesas são supérfluas e mais.

A partir daí, fica mais fácil perceber para onde suas finanças estão indo e como cuidar melhor delas.

4. Crie um orçamento familiar

Estabelecer um orçamento familiar significa criar um plano para gastos futuros, como eles serão feitos e quando serão feitos. E ainda, o que é preciso fazer hoje para atingir todo o previsto.

Como falamos antes, ter objetivos bem definidos ajuda a manter a organização e a cuidar do orçamento mais de perto.

Se a renda da casa não tem um plano definido, e se os gastos não são previstos, fica muito fácil gastar todo o dinheiro e não ter uma reserva.

Porém, estabelecer uma reserva é fundamental! Tanto para suprir emergências, quanto para garantir a realização de sonhos.

5. Defina objetivos em comum

Nós já citamos esse aspecto, mas vale a pena reforçar: toda a família precisa trabalhar junta para executar um planejamento familiar. Por isso, é essencial que todos tenham objetivos comuns!

Claro, será bem difícil definir um plano único, principalmente se as crianças já estão mais velhas e têm as próprias vontades.

Mas é sempre possível criar um objetivo maior, e então deixar que cada um tenha planos só deles.

Por exemplo: o planejamento familiar tem como objetivo adquirir um imóvel próprio. Já o do seu filho é comprar um videogame novo, e o da sua filha, um notebook.

Com algo maior definido, e pequenas metas estabelecidas, vocês podem planejar juntos o que fazer. Quanto de toda a economia feita vai para a meta geral, e quanto vai para as metas individuais? Defina porcentagens.

Assim, todos vão ter maior comprometimento com o que for definido, pois sabem que vão ganhar de todos os modos.

6. Renegocie dívidas em aberto

Se você tem dívidas em aberto, sabe o quanto elas são prejudiciais para o orçamento. Elas “comem” parte do orçamento, e muitas vezes deixam as contas bem apertadas.

Neste caso, a dica é renegociar os débitos que você tem hoje e tentar eliminar os juros acumulados. Você também pode pedir por um prazo maior de pagamento, para que as parcelas fiquem menos “pesadas” no orçamento.

Lembre-se que o “não” você já tem; então, não custa tentar melhores condições com o seu credor.

Esse pode ser o “respiro” que sua renda precisa e pode ajudar a prever melhor seus gastos e ganhos daí para frente.

7. Crie um reserva financeira

Uma reserva financeira serve muito bem para urgências e emergências, quando um gasto imprevisto acontece. Sem ela, você pode precisar pedir um empréstimo para suprir a despesa, e isso vai trazer prejuízo para o seu orçamento.

Outra coisa que a reserva financeira faz é permitir a realização de metas e sonhos. Então, ela é algo que tem que marcar grande presença em seu planejamento familiar.

A melhor forma de criar uma reserva financeira é eliminar gastos supérfluos, mesmo os menores. Sabe o cafezinho que você toma na padaria todos os dias? Comece a optar por tomar café em casa. Essa economia pode parecer pouca, mas no fim do mês faz grande diferença.

Você também pode buscar por uma renda extra. Vender algum produto ou fazer trabalhos freelancer no fim de semana são algumas soluções.

Seja qual for sua estratégia, algo é fundamental: definir uma economia mínima mensal. Estabeleça, por exemplo, que você terá que guardar pelo menos  R$ 500,00 por mês. Com essa meta criada, você vai ter mais facilidade de trabalhar para cumpri-la.

É bem diferente de guardar apenas “o que sobra”. Neste caso, seu objetivo não está claro, e aí sua reserva vai crescer a um ritmo mais lento.

8. Incentive o consumo consciente

Dentro de casa, é muito importante incentivar o consumo consciente, de tudo. Da água, da energia elétrica, da comida etc.

Desperdícios, além de fazerem mal para o meio ambiente, fazem mal para o seu bolso. 

Você vai pagar por algo que não precisava (pela energia de um quarto em que não tem ninguém, por exemplo; ou pela comida que foi para o lixo).

O gasto desnecessário vai prejudicar seu orçamento. Evite!

9. Comemore pequenas conquistas

É sempre bom comemorar as conquistas da família, “para manter a moral no alto”. Se você mostra que os objetivos de todos estão sendo alcançados, isso mantém o entusiasmo para continuar o trabalho.

Por comemoração, não estamos falando de festas. Você pode fazer algo simples e econômico (o que é sempre indicado). Por exemplo, tirar um fim de semana para ir ao parque, ou então levar todos a uma pizzaria. 

Basta planejar o gasto, e então deixe claro que aquilo só está sendo possível graças à contribuição de todos ao planejamento familiar.

10. Pense também no longo prazo

Seu longo prazo pode ir além de metas e sonhos. Seu planejamento familiar pode calcular quanto será sua renda daqui a alguns anos e o que você pretende fazer quando chegar lá.

Ter essa visão de futuro facilita também manter o entusiasmo, como falamos agora há pouco. Cuidar do orçamento não é tarefa fácil, e se todos tiverem pelo que se preocuparem, a tarefa ficará mais simples.

A maior dica do planejamento financeiro familiar é saber o que você quer e quando quer. Assim, toda a família vai poder estabelecer estratégias para alcançar o planejado da melhor forma possível.

Comentários