Para que serve o planejamento financeiro? Com toda certeza, controlar a entrada e saída de dinheiro é apenas mais uma de suas muitas funções. Levando em conta o que é possível fazer com as informações levantadas por meio de um planejamento inteligente e detalhado, a função citada nem mesmo é a mais importante.

Para ter acesso ao desempenho do negócio, medir os lucros e prejuízos, conhecer os pontos fortes e fracos, saber onde investir e com o quê economizar – essas são algumas das utilidades de um planejamento financeiro simples. Ao saber disso, fica evidente então a necessidade de dominar essa ferramenta para tirar proveito de tudo que ela oferece para o sucesso da empresa.

1) Planeje antes

O planejamento financeiro é o ponto de partida para o sucesso de uma empresa, não uma solução de problemas. Por não entenderem isso, grande parte das empresas acabam encerrando as atividades logo nos primeiros meses.

Para ir na contramão dessa tendência, planeje de modo realista levando em conta todos os setores da empresa. Siga estes passos:

  • pense nas respectivas despesas e possíveis faturamentos;
  • conheça o mercado;
  • faça orçamentos com fornecedores;
  • saiba negociar.

Por reunir essas informações antes de começar a lidar com a rotina da empresa, você pode fazer da organização um hábito e prevenir muitos problemas financeiros.

2) Entenda o cenário

Indo mais além no conhecimento da própria empresa, obter outros tipos de informações permite uma descrição mais detalhada; algumas dependem de tempo para se mostrar de modo consistente, então fique atento e mantenha registros.

O tempo de mercado, o histórico de sucessos e fracassos, os tipos de produtos e serviços oferecidos e o relacionamento com os clientes ajudam a traçar o perfil do negócio. Esses dados servem para basear decisões adequadas à realidade individual, não a suposições ou generalizações a respeito da empresa.

3) Faça projeções

O planejamento financeiro vai ser útil, porém limitado, se pensado apenas para situações “ideais” ou “normais”. Reunindo mais algumas informações, a empresa pode se preparar para alguns possíveis cenários desfavoráveis (ou favoráveis, depende do ponto de vista) e não ser pega de surpresa em caso de mudanças, mas sim estar pronta para aproveitar oportunidades.

Pense em cenários como crise, sazonalidade, aumento da procura, diminuição da oferta ou qualquer outro possível para o contexto da sua empresa. Com base nisso, calcule despesas e ganhos, estude mudanças, trace metas e planeje o funcionamento de modo pleno.

4) Trace planos

As projeções ajudam a dar confiança e servem como base confiável em momentos de tomada de decisão. Mas isso só se concretiza se, com base nelas, sejam previamente traçados planos de ação.

Para preparar de fato a empresa visando o sucesso (ou a sobrevivência) diante de diferentes cenários, o empreendedor deve:

  • definir metas e objetivos;
  • criar cronogramas realistas;
  • dividir tarefas e responsabilidades de modo sensato;
  • registrar e comparar resultados.

Levando a sério essa estratégia, a empresa se beneficia por meio das múltiplas possibilidades apresentadas, adquirindo mais noção de onde está e o que pode ser feito para ir mais longe.

5) Organize para integrar

Quanto mais abrangente o planejamento financeiro for, mais efeito positivo terá sobre os setores da empresa. A boa comunicação entre as vendas, o estoque e o setor financeiro é vital para o ciclo saudável do negócio. Caso os pontos sejam desconexos, é mais difícil diagnosticar e resolver problemas.

Fazer uso de um sistema para integrar os diferentes setores, mesmo em empresas pequenas, favorece muito uma melhor organização e integração das informações.

Organize, compare, estude e guarde dados importantes a respeito do desempenho da empresa.

6) Organize para investir

Uma outra excelente utilidade dos dados reunidos através do planejamento financeiro é a base que eles fornecem para investimentos. Uma empresa que deseja permanecer no mercado por anos deve progredir para acompanhar ou antecipar as mudanças do mercado.

Até mesmo contrair dívidas por certo tempo é aceitável, caso isso faça parte do planejamento como uma das etapas necessárias para o avanço. Dependendo do contexto, é necessário considerar investir em novas tecnologias, melhorias na estrutura, capacitação profissional ou estratégias para gerar maior visibilidade para o negócio.

7) Calcule o preço ideal

Para determinar qual ou quais valores de produtos ou serviços fazem sentido para o bom funcionamento do negócio, leve em conta aspectos como:

  • custos de produção;
  • lucro esperado;
  • pró-labore;
  • despesas fixas e variáveis.

O preço deve cobrir os custos operacionais para que a empresa tenha chances de lucro e crescimento. Caso a conta tenha um saldo negativo ou insatisfatório, recomenda-se reconsiderar os processos envolvidos e tentar reduzir custos. Também são opções promover maiores ganhos ou, em alguns casos, aumentar diretamente o valor.

8) Busque auxílio profissional

A rotina de um empreendedor envolve constantemente estar atento a vários fatores, não só observando, mas analisando e planejando com base em resultados. Isso pode prejudicar sua percepção e o distanciar de problemas e soluções. Outra coisa prejudicial é o despreparo para lidar com questões financeiras de modo mais aprofundado, adequado às necessidades do negócio.

Portanto, pode ser de grande ajuda contratar um consultor logo ao começar a fazer o planejamento. O profissional transmitirá uma boa base de conhecimentos e alinhará a empresa num caminho equilibrado em direção ao sucesso. Sua abordagem impessoal e focada também pode contribuir para o surgimento de alternativas totalmente novas e eficazes.

9) Use ferramentas úteis

Embora não seja impossível, realizar o planejamento financeiro exige tempo e esforços do empreendedor. Usar algumas ferramentas adaptadas ou feitas especialmente para o cenário de administração de empresas pode minimizar erros e deixar essa tarefa muito mais fácil.

Há softwares e outros tipos de ferramentas simples gratuitas na internet que possibilitam organizar, atualizar e acessar informações em tempo real. Assim, o empreendedor ganha tempo e realiza a importante tarefa de registro de dados de maneira prática.

10) Mantenha registros

Como dito acima, registrar dados é mais uma medida inteligente que pode contribuir com o progresso da empresa. Com base em dados corretos, é possível determinar, entre outros aspectos, o retorno sobre o investimento, além de possibilitar a rápida e efetiva tomada de decisões no caso da existência de riscos.

Há uma ampla variedade de dicas, ferramentas e opções para ajudar os empreendedores a resolver as questões do planejamento financeiro, mas nenhuma delas será eficaz se não sair do papel. Organizar as informações é só o começo; mais importante que isso é saber usá-las a favor da empresa de modo inteligente, visando maiores lucros e mais sucesso.

Achou o artigo útil? Tem alguma dica relacionada a planejamento financeiro para empresas? Fale para nós na seção de comentários!

Escrever comentário